Para tentar estabelecer um protocolo de atuação dos seguranças e evitar casos de violência e racismo, um novo grupo de trabalho está se formando, com o apoio da Universidade Zumbi dos Palmares, para discussão e comprometimento de novos direcionamentos, de ações de segurança.

O protocolo de segurança assinado pelos representantes das entidades presentes: representantes da Universidade Zumbi dos Palmares, da Secretaria de Segurança Pública, Polícia Militar, Ministério Público e integrantes das entidades que representam as empresas de segurança, além de representantes da Unicamp e USP.

O encontro foi aberto pelo reitor José Vicente, da Universidade Zumbi dos Palmares. Entre outras medidas, ele propôs que os chefes de segurança fiquem junto aos subordinados nos estabelecimentos enão, em salas separadas, como costuma acontecer. Pediu ainda mais transparência eformalização para que fique claro, quem é quem na segurança dos estabelecimentos. E os representantes dasempresas de segurança criticaram a informalidade no setor e pediram mais fiscalização das autoridades.

Hoje, são aproximadamente 700 mil pessoas trabalhando oficialmente na áre de segurança em todo o país.