Quando o assunto mais importante no mundo em três dias é educação e é promovido com crença e compromisso pela dirigente máxima de um ator global corporativo, Ana Botin, presidente mundial do Banco Santander, estamos diante de um fato relevante.

Mas quando ela e personalidades da magnitude do Rei Filipe IV, da Espanha; o primeiro-ministro da Espanha Mariano Marroy, o Presidente Marcelo Berelo, de Portugal e quase oitocentos, reitores, pensadores, formuladores e dirigentes planetários juntam-se nessa luta, seguramente estamos diante de um acontecimento extraordinário.

Esse, seguramente, foi o sentimento coletivo dos participantes do IV Encontro Mundial de Reitores da Universia, movimento e ação educacional mundial do Banco Santander, realizado na Universidade de Salamanca discutindo o futuro da educação.

Ao final, certeira e esclarecedora conclusão: a tecnologia utilizada com estratégia, prudência inteligência pode constituir importante e indispensável aliada para inclusão e qualificação na educação do futuro, formação e aprimoramento dos quadros técnicos e de gestão, bem como, eficiente mecanismo de auxilio às sociedades, na democratização, ampliação e disponibilização dos acessos e oportunidades educacionais.