O Instituto Afro Brasileiro de Ensino Superior é o mantenedor da Faculdade Zumbi dos Palmares e foi fundado em 2000 por acadêmicos, profissionais liberais, intelectuais e personalidades de diversas áreas do conhecimento.

A Faculdade Zumbi dos Palmares é uma instituição Comunitária, sem fins lucrativos. Tem por missão a inclusão e a formação qualificada de profissionais comprometidos com os valores da Ética, dignidade da pessoa humana e diversidade étnico racial.

Inaugurada em 20 de novembro de 2003, as aulas começaram em fevereiro de 2004. Trata-se da primeira faculdade idealizada por negros, tendo como foco a cultura, a história e os valores da negritude (90 % dos alunos são negros autodeclarados). É a primeira instituição de ensino superior voltada para a inclusão do negro na América Latina. A faculdade tem, na matriz curricular de seus cursos, o compromisso com a implantação da lei 10.639/2003, que institui como obrigatório o ensino de História da África e Afro-brasileira em todos os níveis. Isso garante que os alunos dos diversos cursos tenham a consciência do seu protagonismo na história.

O campus da faculdade é um espaço aberto para discussões dos mais variados temas que levam os alunos a uma reflexão mais profunda sobre questões como cinema, livros, dança, teatro, etnia, raça etc.

Os cursos buscam formar empreendedores negros, capazes de ocupar cargos mais altos dentro das instituições. 

A Zumbi dos Palmares vem mudando a vida de jovens negros que estão progredindo e alterando as suas realidades, de suas famílias, do entorno aonde vivem e da sociedade de forma geral. Prova disto é que constantemente a Zumbi é pauta para os veículos de comunicação.

O campus da faculdade foi escolhido pela Embaixada dos Estados Unidos e pela então secretária de Estado norte americana, Hillary Clinton, quando em 2010 a mesma esteve no Brasil.

A instituição possui uma série de convênios com universidades negras norte-americanas, como a Dillard, Central State University, Morgan State, Savannah State University,Virginia State University, Florida Agricultural and Mechanical University (FAMU), Morehouse, Texas University, entre outras.

A história de sucesso da Faculdade Zumbi dos Palmares pode ser medida pelo fato de que aproximadamente 90% do total de alunos formados foram efetivados em empresas privadas multinacionais do setor financeiro e industrial que fazem parceria com a instituição no Programa Especial de Estágio e Trainee. Hoje estes ex-alunos estão integrados ao mercado de trabalho e muitos se preparam para retornar à faculdade, como mestres e doutores e contribuir para que como eles seus familiares e amigos também tenham a mesma oportunidade. 

Sobre Zumbi dos Palmares

 

Zumbi nasceu no ano de 1655, foi o principal representante da resistência negra na época da escravidão do Brasil Colonial e líder do Quilombo dos Palmares que se localizava na região da Serra da Barriga que, hoje, faz parte do município de União dos Palmares. O Quilombo era uma comunidade constituída por escravos fugitivos, índios e brancos pobres. Zumbi nasceu livre, mas foi capturado e entregue a um padre católico quando tinha sete anos, foi batizado e nomeado Francisco, aprendeu a língua portuguesa e latim.

Aos 15 fugiu de Porto Calvo, onde morava, para retornar ao quilombo dos Palmares, passando a ser chamado de Zumbi, que no dialeto da tribo Imbagala, de Angola, significa “aquele que estava morto e reviveu”. Aos 25, Zumbi rebelou-se contra Ganga Zumba, seu tio e líder do quilombo, que aceitara uma oferta de submissão à coroa de portuguesa, tornando-se o novo líder de Palmares e comandando a resistência contra as tropas do governo. Zumbi fez a comunidade crescer e se fortalecer, e além de coragem e conhecimento, Zumbi mostrou grande habilidade no planejamento e organização do quilombo.

Em 1694, o quilombo foi atacado pelo bandeirante Domingos Jorge Velho, e a sede do quilombo foi devastada. Em 20 de novembro de 1695, após resistir bravamente aos ferimentos sofridos durante o ataque, Zumbi foi morto e decapitado, sua cabeça foi pendurada em praça pública, para que servisse de exemplo aos demais escravos, além de desmentir a lenda da imortalidade que o cercava.

Trezentos anos após sua morte, no dia 20 de novembro de 1995, o governo brasileiro reconheceu Zumbi como grande herói e a data foi declarada  “Dia da Consciência Negra”.

DEPOIMENTOS

blog-do-reitor.png
selo-pedagogia.jpg
pp.png
selo-direito.jpg
direito.png
selo-administracao.jpg
adm-1.png
bradesco.jpg